Respire profundamente, inspirando o ar pelo nariz, com o diafragma, expirando-o suavemente pela boca, e visualizando-o circulando por seu corpo como uma luz branca que penetra em todos os cantos e retira qualquer vestígio de tensão ou negatividade que esteja alojada em seu corpo. Faça isso três vezes. A cada vez que você expirar, você se sentirá mais relaxado e vitalizado. E ao final a luz branca o terá preenchido por completo. Quando seu corpo estiver repleto da luz branca, concentre-se e visualize.

Terra:

Você está em um campo aberto, repleto de flores e borboletas que reluzem à luz da manhã que se inicia. Neste local há muitas árvores espalhadas ao seu redor, as quais emitem a mesma luz: é o mesmo brilho que emana de você. À medida que você percebe isso, essa luz se torna mais intensa e você começa a ouvir uma suave canção ao fundo, como se houvesse um harpista tocando no interior de cada árvore. Você ouve pássaros e outros animais, juntamente com um som que parece ser o de um tambor abafado. Conforme esta melodia cresce, você começa a sentir a terra ao seu redor; é como se ela emitisse um longo e profundo suspiro, que aos poucos você percebe se tratar da respiração dela abaixo de você. Conforme o som fica mais alto, um grande touro branco se aproxima e o conduz até o centro da planície, toda orvalhada. Deite-se e aproxime seu ouvido da grama úmida para ouvir o som que ela emite: é a melodia mais bonita que você já ouviu. Escute-a por alguns minutos, e sinta a terra viva sob você. Procure sincronizar o ritmo de sua respiração com a dela, lenta e profunda, até que seu corpo se livre de todo o peso e você se sinta completamente leve como uma folha deitada à terra.

Céu:

Logo, você perceberá que seu corpo realmente está muito leve e que a menor brisa faz com que você balance de um lado para outro com uma suavidade incrível. E então você percebe que não toca mais o chão. Você está flutuando sobre ele e não sente medo algum, pois sabe que não irá cair. Deseje que um vento mais forte comece a soprar para que você possa sentir a sensação de voar: peça ao vento que faça isso, é exatamente o que vai acontecer. Uma rajada de vento atinge você e o lança ao ar com facilidade e, quando você perceber estará voando, sendo levado gentilmente pelo ar, passando por vales, montanhas, campos e florestas enquanto o Sol viaja pelo céu emitindo um brilho cada vez mais intenso em cada lugar que você passa, como se quisessem mostrar a você como é bonita a vista dali de cima. Voe por algum tempo, sinta a brisa que o carrega, sinta o vento que vem de encontro, balançando seus cabelos, sinta o ar puro que preenche seus pulmões. Solte-se nos braços do vento que o leva; súbito, um grande corvo branco mergulha sobre você e o conduz por lugares incríveis. Depois de algum tempo você percebe que não há mais como distinguir o céu da terra, pois a Luz do Sol que se põe no horizonte faz com que ambos se toquem. E só ao olhar para trás é que nota que acabou de passar por uma magnífica praia e que está sobre o oceano.

Mar:

O mar se estende como um tapete brilhante ao seu redor, e aos poucos o vento vai perdendo a força e descendo-o até a água. Já é noite e uma densa névoa cobre o oceano, mas você não sente medo algum. Na verdade, você sente um desejo incontrolável de mergulhar nele e à medida que vai se aproximando do mar, você se delicia com seu cheiro fresco e com o som de seu murmurar como se fosse um precioso alento. Quando finalmente o toca, você se deixa afundar, sentindo vagarosamente a água envolvê-lo e o gosto salgado desse elixir tocar seus lábios. Você percebe que consegue respirar dentro da água, e que você pode nadar tranquilamente e ir até onde quiser e ver tudo como se sempre tivesse morado ali. A luz do luar atravessa a pesada neblina, e o auxilia e ilumina tudo ao seu redor. Você vê cardumes de peixes magníficos, recifes de corais, golfinhos, baleias e uma infinidade de seres aquáticos. Sinta o mar tocá-lo, umedecer sua pele, e impregná-lo com seu cheiro, seu gosto e seu frescor. Sinta tudo e veja tudo o que puder.

Das profundezas do mar surge uma enorme enguia branca, serpenteando pela água, até você, e o conduz adiante. Depois de algum tempo você percebe que o mar está ficando mais raso e há um som mais forte e ritmado ecoando no ar. É o som das ondas quebrando na areia. A correnteza o levou até uma linda praia deserta, repleta de coqueiros e pequenos animais que habitam a areia. Pare para olhá-los por um instante; logo adiante, algo chama sua atenção: é uma trilha em meio a uma floresta, e as árvores que formam seu corredor contém o mesmo brilho do local no qual você começou. No início da trilha, há um enorme javali branco, que o aguarda pacientemente. Siga-o pela trilha, que logo termina em um grande campo aberto e repleto de luz, o mesmo campo em que você começou sua jornada. Mas agora ele está diferente: você o sente como uma parte de si mesmo, e pode ver toda a magia e a beleza escondidas aqueles que não sabem como olhá-lo.

Sua viagem chegou ao fim, mas você poderá retornar sempre que quiser ou precisar. Sinta novamente seus braços e pernas, seu corpo, sua respiração. Sinta o chão sobre o qual está sentado e comece lentamente a despertar.