Aquele que é comedido em seus atos e modos é um ser humano agradável. Aquele que é cortês e amigável é um ser humano sempre bem-vindo. Aquele que é razoável e paciente é um ser humano admirado. E aquele indivíduo que possui todas estas qualidades é um ser humano moderado. Esta pessoa é capaz de falar e ser ouvida, ser anfitrião e hóspede, julgar, ensinar e controlar a si mesmo. Ser moderado é ser equilibrado em todos os sentidos, apetites, humores, comportamentos e atitudes, mas não é ser passivo ou inerte. Essa virtude significa equilíbrio, nem menos ou nem mais.

Moderação é ser saudavelmente equilibrado em nossa Tríade Pessoal (Mente, alma e corpo), pois o desequilíbrio de um deles afeta os outros dois com o tempo. Isso significa que o caminho não é o controle opressivo de nosso corpo ou mente, mas descobrir nossas fraquezas e instabilidades para curá-las de dentro para fora. A capacidade de auto-controle deve, naturalmente, tornar-se parte de nós mesmos, e não ser uma forma desesperada de auto-contenção. Sendo assim, ser moderado é saber e compreender que os excessos não só produzem doenças, mas muitas vezes são causadas por cicatrizes insalubres e questões do nosso interior.

Esta virtude significa ser equilibrado no interior e no exterior. Eu acho que isso é uma virtude básica para todas as outras, pois aquele que é moderado é paciente e disciplinado para aprender, é gracioso em suas maneiras e equilibrado em sua conduta. Portanto, ele é capaz de ser um homem virtuoso.