cropped-Airechtas-Conferencia1.png

Vida e Morte no Mundo Celta  

Reconstruindo e Repensando os Ciclos da Terra, da Tribo e dos Indivíduos
da Antiguidade à Modernidade.

18 de Outubro de 2014

Palestras:

Ana Elisa BantelPalestrante: Ana Elisa Bantel (Santa Catarina)

Tema: O Âmbito do Ctônico no Imaginário dos Povos Celtas: O tempo, o Cosmos e a Mitologia.

Palavras-chave: Ctônico, Mitologia, Imaginário.

Resumo: Uma aproximação do imaginário dos povos célticos pré-cristãos no que tange ao domínio do ctônico, investigando a mitologia céltica em sua relação com o habitat natural, o calendário e a religiosidade desta cultura. Em paralelo com a abordagem do antropólogo Gilbert Durand acerca do domínio do ctônico no imaginário, e alguns apontamentos arqueológicos referentes aos Celtas no recorte temporal em questão.

 

Erik Wroblewski

Palestrante: Erik Wroblewski (Paraná)

Tema: A Rainha Medb e a Personificação da Soberania na Antiguidade Irlandesa. 

Palavras-chave: Medb, Soberania, Mitologia.

Resumo: Utilizando a hipótese de Le Roux e Guyonvarc’h de que a figura da Rainha Medb representa mais do que a de uma soberana, mas sim da própria Soberania, podemos vislumbrar a noção de Soberania no contexto da Antiguidade Irlandesa.  Medb, que, ao longo das hostilidades descritas no Táin, se vê incompetente e degenerada em muitos dos aspectos e ideais da realeza, conforme eram elaborados pela sociedade Irlandesa “tradicional”, personifica uma Soberania mal conduzida, servindo como representação das consequências da má conduta de um soberano e das implicações, não só sociais, mas também naturais da falha do Rei ao cumprir seu papel de forma adequada. 

 

José Paulo AlmeidaPalestrante: José Paulo Almeida (Paraná)

Tema: Os Três Círculos: Desvendando a Vida e a Morte no Bardismo Galês.

Palavras-chave: Bardismo, Barddas, Três Círculos, Renascimento.

Resumo: O conceito dos Três Círculos é rastreada até os colégios bárdicos medievais e ressurgiu no mundo moderno no final do século XVIII através da polêmica obra The Barddas, sendo um dos pilares do Bardismo Galês que permeia muitas das principais Ordens Druídicas modernas. Apresentaremos então uma abordagem elucidativa para mostrar que apesar de não ser originalmente vinculada aos celtas da Antiguidade, essa filosofia está intimamente ligada ao pensamento druídico contemporâneo, usando para isso comparações com a divisão tripartida do Mundo, a evolução das espécies entre outras.

 

Marcílio

Palestrante: Marcílio Diniz (Paraíba)

Tema: Para uma “sídheologia”: buscando compreender as diferenças entre as entidades espirituais desde uma perspectiva céltica.

Palavras chave: entidades espirituais, religião céltica, metafísica, interpretação moderna.

Resumo: A distinção entre as diversas entidades espirituais que acreditamos habitarem o mundo e suas respectivas posições na hierarquia ontológica, assim como a contrapartida metafísica dos respectivos “protocolos” para interagir com elas, é um tema importante para operação concreta da religião no cotidiano e que nem sempre é clarificado ou refletido (em uma perspectiva sistemática) por reconstrucionistas célticos (e druidistas). Partindo disto, apresentaremos uma proposta de interpretação de tal “onto-morfologia”/”morfontologia” no pensamento céltico, desde bases literário-mitológicas, arqueológicas e de comparações nas demais religiões indo-europeias, visando despertar o diálogo sobre este tema de doutrina e em especial a discussão sobre os modos ortopráticos de validação religiosa deste gênero de especulação metafísica.

 

1422407_1469989396559889_1122090933_n

Palestrante: Marcos Reis (São Paulo)

Tema: A Espiral da Vida e da Morte – Vivendo as Relações.

Palavras-chave: Ciclos naturais, Ancestrais, Vida.

Resumo: Viver os ciclos da terra nos dias de hoje é um grande desafio que se torna ainda maior quando este viver é espelhado e/ou inspirado pelos ancestrais Celtas, um povo tribal que dependia da terra e seus ciclos. Como entendemos e vivenciamos estes ciclos nos dias de hoje?

 

Marina Holderbaum

Palestrante: Marina Storino Holderbaum (Paraná)

Tema: Tutela e Adoção na Mitologia Celta: Transformando as Relações Sociais Através da Ideia de Família.

Palavras-chave: Adoção, Alianças, Relações Sociais.

Resumo: Na Mitologia Irlandesa são comuns os casos de filhos adotivos, tanto de personagens humanos como de divindades. Esses casos revelam uma prática interessante dos povos ditos Celtas, a tutelagem ou adoção de uma criança para fins de estudo e vínculos entre as famílias. Essas crianças passam a ser um elo de ligação consanguínea entre as famílias, mas não só isso, a criança é considerada de fato filha da família adotiva, ganhando inclusive títulos e prestígio que caibam como filhos legítimos.

 

Wallace William de SousaPalestrante: Wallace William de Sousa (São Paulo)

Tema: Reconstrução Religiosa Britônica: Problemas e Possibilidades.

Palavras-chave: Britônico, Mabinogion, Quatro Livros Antigos do País de Gales, Arqueologia

Resumo: Se comparada com a riqueza da tradição literária gaélica, a reconstrução britônica apresenta inúmeros problemas, dentre eles uma suposta incongruência entre os resquícios que surgem na literatura do medievo e as evidências que encontramos na arqueologia; a escassez de registros romanos, se comparada com a riqueza incrível da Gália; e a influência inegável da própria literatura gaélica em alguns de seus contos. Ainda assim, um pequeno esforço revela uma quantidade de informações com inegável riqueza, que se confirma em outros ramos da tradição (através da mitologia comparada), ou que adiciona por si só conceitos exclusivos a serem considerados dentro de uma reconstrução pagã atual.